Como parcelar IPVA atrasado?

O pagamento do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores, conhecido popularmente por sua sigla IPVA, pode ser realizado à vista ou em parcelamento. Automaticamente o sistema já envia aos proprietários de veículos todos os anos as duas opções de pagamento. Atrasando, ainda pode pagar parcelado, mas com juros. Saiba mais!

IPVA já é enviado para pagamento com parcelamento

Todos os anos o Departamento de Trânsito (Detran) dos Estados envia para os donos de veículos de sua região o boleto para pagamento. Ele é entregue via Correios para a residência dos proprietários, mas ainda pode ser obtida uma segunda via no sistema online do Detran.

Em primeiro momento e ainda na data de pagamento o IPVA 2019 RS ou de qualquer outro estado segue com opções de à vista ou parcelado. Pagando em parcela única e à prazo fica o valor normal do imposto.

Entenda ainda se há chances de realizar o parcelamento do Seguro DPVAT RS e quais as formas de pagamento dessa taxa.

O parcelamento segue o padrão há alguns anos de seis vezes sem juros. Desde o pagamento da primeira parcela o imposto é considerado quitado e o documento novo do veículo é enviado para o endereço registrado no Detran. Mas caso não pague as demais parcelas ele entra em atraso e o automotor se torna irregular.

Descontos no valor do IPVA podem ser obtidos de formas diferentes em alguns estados. Em algumas regiões não ter multa de trânsito no ano anterior gera um abatimento de até 20% no imposto. Deficientes físicos e mentais como proprietário também possuem abatimento desde que comprovem sua situação.

Como fazer parcelamento do IPVA

Contando um dia após o primeiro dia de vencimento da primeira parcela o IPVA já começa a ficar em atraso. Neste caso o valor é acrescido de multa por atraso e juros diários. Estar em débito com o imposto não é uma opção porque gera apreensão do veículo e o novo documento não é emitido para circulação. Veículo com IPVA em atraso não pode circular nas ruas.

Veja também sobre o pagamento do Seguro DPVAT 2019 e do Licenciamento do seu veículo.

Para parcelar o IPVA o proprietário deve se dirigir a um posto de atendimento do Detran ou à Secretaria da Fazenda de sua cidade. Deve levar consigo os seguintes documentos:

  • Habilitação ou documento original oficial com foto (caso não tenha CNH);
  • Comprovante de residência;
  • Documento de propriedade do veículo.

Os próximos passos são conversar com um atendente sobre quais as possibilidades de pagamento. A negociação é realizada presencialmente e o valor acordado entre ambas as partes, assim como quantidade de parcelas. Uma vez negociado o boleto já é emitido para a primeira parcela e todas as demais.

Etapas para ser aprovado na CNH

Com o Simulado DETRAN MG o condutor vai ter uma base de como vai ser a prova teórica de trânsito. A ferramenta tem o objetivo de preparar o aluno com questões relacionadas ao tema. Assim como na prova oficial, o Simulado DETRAN MG também possui 30 questões. Veja como conferir sua pontuação.

Ao optar em fazer o simulador é possível entender como funciona a prova escrita. Disponível em teste o aluno vai responder as questões relacionadas ao trânsito. Confira. Saiba também sobre o DPVAT 2019 MG, imposto cobrado de todos que possuem um veículo automotor.

Obter carteira para direção (CNH)

Para ter a sua primeira habilitação ou a Permissão para Dirigir (PPD), o candidato precisa passar por algumas etapas, como exames de aptidão física e mental, conhecimento na legislação de trânsito, além do exame na direção veicular.

Para conquistar estes direitos é preciso que o usuário:

  • Tenha os 18 anos completos.
  • Saiba ler e escrever.
  • Apresente documento de identidade.
  • Possua cadastro de pessoa física (CPF).
  • Tenha comprovante de residência.

Com os documentos pode iniciar o processo para obtenção da Permissão para Dirigir (PPD). Inicialmente depois dos exames médico e psicotécnico é preciso fazer a inscrição em um Centro de Formação de Condutores (CFC).

Na sequência inicia o Curso Teórico Técnico (Curso de Legislação) que tem como obrigação o aluno cursar 45 horas/aula e o Simulado DETRAN MG pode ajudar. Depois é passada a prova de Legislação, se passar segue para o Simulador de Direção.

Veja como funciona o teste em outros estados:

Simulado Detran BA

Simulado Detran PI

Simulado Detran AL

Ao terminar, o aluno precisa fazer o curso de prática veicular no mínimo 25 horas/aula. Ao concluir ele pode ser agendado para o exame de Direção Veicular.

Curso Teórico Técnico

O curso teórico, ou seja, de legislação é obrigatório, portanto, é o meio de preparar o aluno para o exame final. No curso é abordado o tema referente à legislação de trânsito, com questões de:

  • Legislação de Trânsito;
  • Direção Defensiva;
  • Noções de Primeiros Socorros;
  • Noções de Proteção e Respeito ao Meio Ambiente e de Convício; Social no Trânsito;
  • Noções sobre o Funcionamento do Veículo;

O Simulado MG é uma maneira do candidato fazer a prova escrita sem dificuldade, já que ele funciona como um teste. Ao optar em fazer o aluno vai treinar seus conhecimentos em cada seguimento.

Placas de sinalização

A sinalização é utilizada para garantir a segurança dos condutores nas vias e rodovias. Por meio das placas é possível entender os sinais, por isto é usado às placas de regulamentação, de advertência e de indicação.

Placas de regulamentação: apresenta as restrições das vias, assim como obrigações e condições.

  • Placas de advertência: recomenda sobre situações perigosas.
  • Placa de identificação: orienta sobre as vias, destinos e os locais de interesse.

Simulado DETRAN MG

O Simulado DETRAN MG não possui uma página para que seja feito o teste online. Porém, o usuário pode optar pela página oficial dos outros estados.

Este simulado segue como o original com 30 questões, na qual deve acertar 21, e fazer 70% da prova. As questões são oficiais, pois partem do banco de dados do Detran. Para ver como fazer o teste gratuito, confira abaixo.

 

Informações para residentes de São Paulo que possuem algum automóvel

Residentes de São Paulo que possuam algum automóvel deverão realizar o pagamento do IPVA 2019 SP. Existem algumas situações em especial em que o proprietário se torna isento desse pagamento. Saiba mais informações sobre o IPVA 2019 SP e como realizar o pagamento desse imposto.

Consultar o Valor e Emitir a Guia do IPVA

Você só saberá o valor do seu IPVA 2019 SP quando você receber ou emitir a Guia de Pagamento. Mesmo que você não tenha recebido essa guia de pagamento, você poderá consultá-la de forma online simplesmente acessando o site do Detran.

Para saber o valor, siga esses passos:

  • Acesse o site oficial do SEFAZ clicando aqui;
  • Digite o número da placa do seu veículo;
  • Informe o número do seu RENAVAM;
  • Clique na opção “Consultar”;

Verifique o valor informado.

Como Realizar o Pagamento IPVA SP?

Os cidadãos de São Paulo poderão realizar o pagamento do IPVA de duas maneiras: à vista ou parcelado. Se você optar em realizar o pagamento à vista, receberá um desconto de 20% do valor total. Caso opte pelo parcelamento, este poderá ser feito em até 3 vezes sem desconto.

Com a guia de pagamento em mãos, você poderá se dirigir até uma unidade credenciada e realizar o pagamento. Confira as unidades que recebem o pagamento desse imposto:

  • Banco do Brasil
  • Caixa Econômica Federal
  • Casas Lotéricas

Tabela do IPVA

A tabela com as datas de pagamentos do IPVA 2019 SP ainda não foi divulgada, mas você confere abaixo a tabela utilizada no ano anterior.

Ela é muito simples de ser entendida. Você poderá observar 4 colunas:

  • A primeira indica o número final da placa dos veículos;
  • A segunda mostra os dias do mês de janeiro que a cota única ou a primeira parcela deverá ser paga;
  • Na terceira coluna, você observa os dias de fevereiro que deverá ser realizado o pagamento da segunda parcela;
  • Já na quarta coluna, você vê os dias de março em que deve ser realizado o pagamento da terceira parcela.

Confira a tabela:

Quais os Casos de Isenção IPVA SP

Algumas situações isentam você do pagamento do IPVA 2019 SP.

As isenções determinadas para 2019 ainda não foram divulgadas, portanto, você conhecerá a seguir as isenções de 2018. Não deverá haver grandes mudanças para o ano seguinte. Confira:

  • Carros utilizados pelos órgãos públicos fabricados há mais de 10 anos;
  • Carros adaptados e utilizados por deficientes físicos;
  • Automóveis utilizados por representantes legais de deficientes físicos ou autistas;
  • Veículos que tenham sofrido alguma situação de sinistro ou furto;
  • Veículos utilizados pelos Estados, Distrito Federal, Municípios, Autarquias e União;
  • Veículos de templos e instituições religiosas;
  • Veículos utilizados para socorrer vítimas e doentes;
  • Veículos de combate a incêndio utilizado pelos Bombeiros;
  • Veículos utilizados para transportar passageiros mediante cobrança de passagem;
  • Ônibus de transporte urbano ou rodoviário.